quinta-feira, outubro 19, 2006

Fernanda Santiago XIII- Calendário

Ausente, só me sei dela,
Única Solidão.
Mas alcanço-me em seu tato,
(Na pele, um Diário)
Seus dias são meu Calendário.

domingo, outubro 15, 2006

Adubo

Cheio de mim, pedi-me o vazio.
Pus-me a fora,

Exalando-me o avesso insuportável onde jazo.
E, como q purgado, aos ecos das entranhas,
olhei-me a obra e suas arestas

a polirem-me, a existência e dos espelhos
-descarga-



sábado, outubro 14, 2006

Fernanda Santiago XII (Horizonte)

Seguindo sua pista, à vista, me levo a vc meus sentidos (da Vida)
Em foco, onde um mundo se esconde, anuncia, com a boca, meu céu: Horizonte.

Ofício.

Nascemo-nos. Fim.
Partidos, completos. Repleto, não parto.
(Indi)Gesto-me. Vermo-me, autolítico.
Raquítico aparato fazendo-me em'blemas,
calculados problemas.
-Poemas?
-Exatos!

domingo, outubro 08, 2006

Fernanda Santiago XI - Batalha Naval

Pensei-te ser um Torpedo me adentrando o casco frio
Naufragando-me, afagando, em teu olhar, q curso e rio
(A maré, o q se renova, pois se traz em "si", de cio)
De Oceano te chamei ao acordar: me vi Navio.

domingo, setembro 24, 2006

Fernanda Santiago X - Luz Constante

Fotos, imitações de seus instantes.
Prefiro, porém, tua carne, noite e dia,
a nutrir-me o gordo olho à luz constante.

Fernanda Santiago IX (Já, mais!!!)

Amo, sem querer, por querê-la demais.
Amo, pode ser, por não sê-la, aliás,
amo-a toda, inteira, pela beira, por trás...
Amo tanto e, por tanto, esquecê-la jamais!!!

Pelo meio do caminho tinha um "I".

No meio do caminho tinha uma pedra.
Tinha uma pedra no meio do caminho.
Tropecei a caminho, quebrei a perna,
E por isso não sei onde finda o caminho.

Jamais esquecerei disso na vida,
pois não morri na queda
fiquei só, com a pedra, no meio do caminho.

quinta-feira, junho 29, 2006

Fernanda Santiago VII (Estilhaço)

Em meu peito de aço, estilhaço, grudou-se-me: ímã.
Vi-me dentro de um estranho castanho.
Pensei: "Nesses olhos há rima".

terça-feira, maio 30, 2006

GHOST

Quando eu morri, um anjo vertical,
desses q vive no claro, me disse:
"Vai Patrick, sê Ghost na vida!!"

sábado, maio 27, 2006

sexta-feira, abril 14, 2006

Os Reis d' Arrocha

Os reis d'arrocha em movimento
Solidários são com o vento
Sopro sempre sem censura
No ar inscrevem sua rasura
Em paredes de convento
Pulsa a vida em releitura
Abriga o brega uma cultura
De momento em monumento
Rarefeito d' escultura
Q não cabe em cabimento
Sem Carol e a pinga pura
É tempo lento q não dura

quinta-feira, abril 13, 2006

Fernanda Santiago II

Te quero rente, ao gosto, al dente.
Vestir tua pele eloquente.
Deixa qu'eu te tente, invente, faça diferente.
Ler-te a luz corrói-me a lente
mas à mente sei de cór detalhes
para embaralhado o olho ao brilho
podê-la abrir a trilha em braile.

FERNANDA SANTIAGO

em toda parte/em todo todo,
é tão presente
q não é coisa, é ambiente.

O CAOS e A ORDEM

...
o caos
do caos é
a ordem
da ordem é
a ordem
do caos é
o caos
da ordem é
...

Poeteiro

O poeta punheta ante o verso dela e... Ah!!!!!! (Gozo estético).