sexta-feira, dezembro 26, 2008

Poema rápido pra Ilka

passou por mim, deixou o pó.
coelho, cão, amor ou ema?
não vi, não sei quem fez
na tez, em mim, poema

Adorno Laureado

me mantém d'esperto
bem perto dos dedos num braile dançante.
amantes de noites, fisgados na rede
eu sou heavy, ela é rave
(um inverso de rimas)
eu, o mano em Grajaú
ela, o ímã, Apolo Sul.
se ela ama, em pronta-entrega
sou o olho que examina.
sou café, nem todo amargo.
ela, doce: anfetamina.

quarta-feira, dezembro 17, 2008

segunda-feira, dezembro 15, 2008

Cadilac



Lá vem ela!!

Saiam já da grade,

vão rachar as canecas!!!

Não sei não...

Segurem os olhos,

Ai meu Deus,

Rebelião!!!

sábado, novembro 29, 2008

RUMOS E MUROS (Pra Id Ego)

ele quis o poema duro
q, claro, brilhasse no escuro
eu, cem rumos, só muros no Ser
certas luzes apago pra ver.
lanço setas de cético
ele asceta (sem oscar)
um, bucal anti-séptico
outro, o hálito em moscas.
nossos passos, parelhos
só se chocam em guias.
qdo há sós, no espelho
quem é sombra? e o meio-dia?

Poema de Id Ego - ñ reparem-me os olhos |para igor adorno|


ele, o pai do seu próprio filho
o estrito, estreito, esse do peito
mas ñ mais sozinho
no ar
rarefeito de esculturas
tropeçando no caminho
quebrando a perna
inscrevendo rasuras
um anjo vertical
desses q vivem no claro
ou no x da questão
ou em toda parte
em todo todo
um tanto sim
q só um ñ
um doar-se sem freio
sem dó
|a vaia ñ usa botox|
o riso
de quem se freqüenta o próprio pó
nutrindo o olho gordo à luz constante
noite e dia
seu novo poema velho
talvez vire poema
mas já é poesia
a piada leminskiana
insensação
mas elegância
olhar q é adiante
até se ñ
ainda que rude o maquinário:
um irônico crônico
lúbrico e lubrificado
brega como o diabo
no seu peito oco: trocados
de um amor q esvazia o vão
pulsar sobre o entulho da vida?
sei lá
perguntem às flores q surgirão

domingo, novembro 16, 2008

Há vagas

te acendi pra me iluminar.
vc, sem se ver, me apaga.
te escureci com um amor solar
ou te brilhei, da minha tomada?

quinta-feira, novembro 06, 2008

terça-feira, novembro 04, 2008

A Piada (Para Letícia Avelar)

tentei ficar imune
ao seu ímã:
"Essa não voa,
é canoa
sem remo, sem rumo, sem rima".
me enganei
o esgano
(esganei
o engano?)
e por baixo do pano
entendi a piada:
o q nos une é a língua
desafiada.



.

domingo, novembro 02, 2008

"... MAS ELEGÂNCIA !!" (ou Izabela)

ela é onde caos e acaso
se resolvem: gestos claros,
majestados, sem neblina.
como o incêndio controlado
de falsas quedas felinas
.

segunda-feira, outubro 27, 2008

o X da questão.

pessoa X: diz:
e o namoro ?

pessoa X: diz:
como está?
Igor Adorno diz:
caminhando a passos firmes

Igor Adorno diz:
ando meio apaixonado por ela  
Igor Adorno diz:
ou inteiro apaixonado, pra ser na mira
pessoa X: diz:
que bom

pessoa X: diz:
é sempre bom estar apaixonado

pessoa X: diz:
e ser correspondido claro
pessoa X: diz:
seja o melhor para ela

Igor Adorno diz:
até não correspondido é melhor do q caminhar vazio

Igor Adorno diz:
ela é feliz comigo
Igor Adorno diz:
e vc? como anda de paixões?

pessoa X: diz:
sem paixões

Igor Adorno diz:
elas brotam no deserto

Igor Adorno diz:
é so ter paciência e jejuar
pessoa X: diz:
mas eu não quero

pessoa X: diz:
não quero me apaixonar por ninguém

pessoa X: diz:
eu penso diferente de vc

Igor Adorno diz:
a gente não escolhe quando nasce um deus

Igor Adorno diz:
na verdade ele nos nasce

pessoa X: diz:
não quero ter sentimento não correspondido

Igor Adorno diz:
vc é uma moça sedutora. receberá correspondências

pessoa X: diz:
moça sedutora? pessoa X: diz:
mas nem todos caem nos meus encantos, não?

Igor Adorno diz:
nem todos, mas encantos são pra encantados, não pra todos
pessoa X: diz:
é
pessoa X: diz:
tá certo

Misa ele, ela, eu

Misa,
por vc
eu visto a alma
e tiro a camisa.

espaços.

vc não respeita o espaço do outro, ela disse.
eu:
o espaço do outro é o outro.
.

quarta-feira, outubro 22, 2008

Sheila/ Shirley: Sexy in the City

dois sóis
(
ser
vivo
há cores
)
desabrochando paus
em flores.
A luz
de cachos
nos alísios
polinizou nos
dentes, risos
a fera fêmea em fúria
(
aranha
q o olhar tateia
)
deseclipsoul-se:
É lua Sheila.

sábado, outubro 18, 2008

Pro "Permita-se".

Me permito
o mito
ou me
omito?
Minto.

Fora da data (Parabéns)- Pro aniversário de Taiane.

tentei pelo envelope,
desci nascente, deitei poente
furei step, fui a galope
nasci um dente, quebrei um pente
xinguei patente (Ai!! Era Cop)
vazio o ventre, tentei a mente
(ponte quebrada, placa de stop)
sobrou a net, mandei screpe
pra ir além:
te tornar refém
do meu coração: Amém.

sábado, outubro 04, 2008

Exit Lights.

alguém me acenda os olhos
pra q' eu apague a luz.
cansei de tanta cura:
me deixem onde pus.

há tempos. atrás.

O agora gorou.

Pra Id Ego

iconoclasta de pompom
pintou olho passou batom.
tem gema no umbigo: tarado!!
pra nos deixar desconcertados.
chegou lento, arrastando um malote
(esganado lá dentro um velho velhote)
inimigo morrido em natais passados.

2º parte

abrindo a sacola olhando pra dentro:
defunto sorrindo cantando suas árias.
reconheceu-se (do contra?) a favor de maus ventos
ao olhar com cuidado as arcadas dentárias.

.

sexta-feira, outubro 03, 2008

Não sei me despedir.

alguns me são tempo tão rente q os trago na carne.
incoaguláveis.
sorrisos de rios em cheia, de móveis margens.
eu-sol ,invertido, em mímica-miragem:
espelhos, pra quem aceno e me digo adeus.
q me protegem: são santos ateus.

quinta-feira, setembro 25, 2008

terça-feira, setembro 16, 2008

Arouca e o poema em sua boca.

Se faltar energia,
cante alto, não esquente.
chame Arouca - é corrente!-
chega rente, no tom
pra guiar seus elétrons.
precisando da força
de mil-megatons,
de palavra-
com-mira, sem ira,
me ouça:

malandro é quem ama
pra não sentir frio.
No peito, sou rio
pra não virar poça.

sábado, setembro 13, 2008

oração.

q o céu te esteja nu
do tarde ao cedo
e brilhe a gema de clara azul
de norte a sul, sem morte ou blue
guardando do medo
vc e nosso segredo.

segunda-feira, setembro 08, 2008

MINERAÇÃO

como um vento comovente
Aline alimentou-me a mente
com suas linhas de frente
e trás
nos óleos da pele
horizontes tais
q nem cogito
ergo sim
o mastro
e lhe farejo o rastro
e me misturo ao cais
e tomarei-lhe aos goles
camaleão no grilo
emagrecer-lhe um kilo
e assinarei o impacto
e a sentirei um hábito
a me mudar o hálito.

terça-feira, agosto 12, 2008

sábado, agosto 09, 2008

quinta-feira, julho 24, 2008

em má asa.

nosso acaso
é carne
sem osso ou s.o.s.
a sós,
cem sóis
incineram
lençóis
mas se há voz
alheia
desfaz-se a teia
se enfadam fadas
engasgam sereias
e o q era sol, ido
ex-cupido
mostra sua face de areia.

quarta-feira, julho 23, 2008

Laura

L'aura, em lua arada
ama a droga madrugada.
nada teme. q a revelem.
vi seu vício em
si na
pele.
Laura,
rua
lua
ar
q o olhar q a cata.
capta a luz de preto e prata.

segunda-feira, julho 21, 2008

Fernanda Santiago XXXI (amar é cheia)

O sol q te alude
aplaude
miúdo e amiúde.
Ai, amor,
tanta vida não cabe num maiô.
Vc é maior, morena
q qualquer moral
minha,
pequena.

Poema genérico, pra id ego.

alguém, além, na porta de um bar:
- Gente é pra bilhar, gente é pra bilhar!!!
e desarmou-me o q era ermo.
e tudo mais q era enfermo
se era sol, ficou star.

ome, não emo.

rompantes de pântanos:
húmidos emos infectos.
sejamos áridos
e arados:
húmus, demasiado erectus.

quarta-feira, julho 02, 2008

Papos q virão.

Se o acaso pintar
não crio
............Caso
ou
............Divorcio

Questão de
.................teto
.................tato

e Cio?

.

sábado, junho 28, 2008

Homenagem a uma amiga.

ALÍNEA
Ali nenhuma paz é poça.
Ouça: d'ALine é tanto som que só os olhos, ilhas.
Sem de tanto. Braile em canto.
Tudo diz n'Aline:
Ali nenhuma paz é muda.
Mar é, se cala
Se fala...
...profunda...

quarta-feira, junho 18, 2008

Fernanda Santiago XXX

minha inimiga da solidão
o amor q me esvazia o vão
no peito
meu refém e meu suspeito
à minha esquerda e meu direito
além de mim
à minha mão

quarta-feira, abril 23, 2008

Fernanda Santiago XXIX

minha boca
(tEmPeSTaDeS No MeU PeiTo)
cospe vento.
.
.
A estrada
................................S)
..........................E
.......................R
(calcanh.. A
e a
M M M I I I R R R A A A G G G E E E M M M
.
.
me con
........sum
................indo
até o chapéu.

terça-feira, abril 22, 2008

Te amo, Alexandre.

Nossos laços são nó cego, só erramos de placenta.
Sem parabéns por q meu amor transborda das datas,
é hélice anti-horária dos calendários em branco,
fotos de memória inventada.

Espelho pros meus olhos embaçados:
Irmão.

quarta-feira, abril 02, 2008

Se vc
OL(por trás dos meus)HOS
ao te
...(\)/er P (\)/eria
A
SS
A
R
colorIDA
.............a puLsar
sobre o eNtuLhO
a VIDA

segunda-feira, março 17, 2008

Para os dias de Carina.

A'legria de Carina explode em cores,
como fogos de artifício, até a pele.
Luz q vasa de seu céu interno,
q é noturno com explosões de dia.
De quem flore, em um abanar de cílios,
são joões, e silencia
ou q a cada sombra, horizontal,
verticaliza, em meio-dia.
Sua alegria, açougueira,
almas porcas lhe repelem,
mas, se limpas, e a um dedo
a luz q brota, dela, bebem.

segunda-feira, fevereiro 25, 2008

Amigos (Para aqueles q tenho)

Minhas pegadas andam mais rasas.
O q me curvava agora é nutrimento do tempo.
O q são os amigos senão aqueles q,
cegos às luzes do bolso,
equilibram-nos, às costas,
o mundo q levamos até o cair das pálpebras?

segunda-feira, janeiro 28, 2008

Maria Paula (Aniversário)

o sopro, a vela: onde levará?
- onde só há mar: ao olho, a ilha brilha.

à mil, palmilha, o trecho torto:

Da mãe o parto,
pra vida a porta,
pro amor um porto.

terça-feira, janeiro 15, 2008

Para Luzia Castro Adorno ( In memoriam)

o corpo
...........silêncios

lembranças soluçam

família
............fiar de muitas mãos

............cruz (espada) buzios

despedidas
.................oração

disseram-me:
....................." passou pela porta estreita,
.......................será
...................... do Senhor
.......................a colheita"

eu
...pra mim:

"a vida
.......... é abrir
................... e fechar
................................de gavetas"
.