sexta-feira, dezembro 26, 2008

Poema rápido pra Ilka

passou por mim, deixou o pó.
coelho, cão, amor ou ema?
não vi, não sei quem fez
na tez, em mim, poema

Adorno Laureado

me mantém d'esperto
bem perto dos dedos num braile dançante.
amantes de noites, fisgados na rede
eu sou heavy, ela é rave
(um inverso de rimas)
eu, o mano em Grajaú
ela, o ímã, Apolo Sul.
se ela ama, em pronta-entrega
sou o olho que examina.
sou café, nem todo amargo.
ela, doce: anfetamina.

quarta-feira, dezembro 17, 2008

segunda-feira, dezembro 15, 2008

Cadilac



Lá vem ela!!

Saiam já da grade,

vão rachar as canecas!!!

Não sei não...

Segurem os olhos,

Ai meu Deus,

Rebelião!!!