quinta-feira, setembro 25, 2008

terça-feira, setembro 16, 2008

Arouca e o poema em sua boca.

Se faltar energia,
cante alto, não esquente.
chame Arouca - é corrente!-
chega rente, no tom
pra guiar seus elétrons.
precisando da força
de mil-megatons,
de palavra-
com-mira, sem ira,
me ouça:

malandro é quem ama
pra não sentir frio.
No peito, sou rio
pra não virar poça.

sábado, setembro 13, 2008

oração.

q o céu te esteja nu
do tarde ao cedo
e brilhe a gema de clara azul
de norte a sul, sem morte ou blue
guardando do medo
vc e nosso segredo.

segunda-feira, setembro 08, 2008

MINERAÇÃO

como um vento comovente
Aline alimentou-me a mente
com suas linhas de frente
e trás
nos óleos da pele
horizontes tais
q nem cogito
ergo sim
o mastro
e lhe farejo o rastro
e me misturo ao cais
e tomarei-lhe aos goles
camaleão no grilo
emagrecer-lhe um kilo
e assinarei o impacto
e a sentirei um hábito
a me mudar o hálito.